uol afiliados

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Liturgia do tempo

Em tempos de lulu e tubby e de uma "sociedade" que cultua cada vez mais o passageiro, a aparência e o supérfluo, recomendo o vídeo abaixo que faz uma reflexão sobre a velhice e o que realmente não é passageiro.
Vale a pena assistir o vídeo independente de sua crença ou religião.





sexta-feira, 26 de abril de 2013

Forever young

O que você faria se um dia ao olhar no espelho encontrasse um bebê ao invés do seu reflexo?

Confira esta campanha legal da Evian (agua para bebês):

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Aula de Historia no Facebook

E se os países da 2ª Guerra Mundial fossem perfis de Facebook?



Bem mais fácil aprender história assim não?

quarta-feira, 24 de abril de 2013

Eduardo e Monica em 2013

E como seria se Eduardo e Monica, personagens da famosa canção da banda Legião Urbana, tivessem se conhecido nos tempos de hoje?

Fizeram um video sobre isso. Olhem só que legal:

terça-feira, 23 de abril de 2013

Fenômeno

Em tempos de falta de centroavante, vale a pena lembrar do maior artilheiro de todas as copas do mundo!

Fenômenal





quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

On ou Off: De que lado você está?

Recomendo o excelente vídeo de Deivison Pedroza para fazermos uma reflexão: estamos realmente no caminho certo?

On ou off: de que lado você está?

Vídeo sobre o verdadeiro sentido da sustentabilidade e sobre a revisão de valores da nossa sociedade atual. Texto: Deivison Pedroza – Presidente Verde Ghaia / Sócio-Diretor VG Bioenergia / Presidente Comitê Sustentabilidade do WTC-BH






quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Câmeras de segurança também capturam coisas boas...

O vídeo abaixo reúne cenas capturadas por câmeras de segurança espalhadas pelo mundo.

 Porém ao invés de mostrar cenas de crimes, abusos ou violências como geralmente são as cenas "testemunhadas" por essas câmeras, o vídeo mostra cenas bem diferentes do seu proposito original.


 Vale a pena conferir:

 

O vídeo foi criado pelo grupo http://loveeverybody.com/

domingo, 25 de novembro de 2012

Tsunami Japones "live"

O video abaixo foi filmado por Yu Muroga que estava em seu carro durante o tsunami japones em 3.11.2011. As cenas são impressionantes e dão uma pequena noção desse tsunami.

terça-feira, 9 de outubro de 2012

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Street View no Brasil

Quando a Google anunciou que iria mapear as cidades-sede da Copa do Mundo de 2014 no Street View achei que em longo prazo ela também passaria a mapear outras grandes cidades do Brasil. E para minha agradável surpresa vi que minha cidade natal, Teresina - PI, também já possui várias ruas no Street View.

Fui pesquisar no Google e achei o quadro abaixo que mostra que as principais capitais do Brasil já encontram-se mapeadas. Sul e sudeste praticamente todo mapeado.


Outra novidade boa foi a inclusão de algumas cidades do interior do nordeste como Picos, Floriano, Juazeiro, Petrolina e etc.

Ou seja, é só questão de tempo para o Brasil todo fique disponível no Street View.

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Street view em Fortaleza

Depois de liberar informações de trânsito da cidade de Fortaleza no Google Maps , a Google acaba de liberar as visualizações do Google Street View para grande parte da capital cearense.



A área de abrangência até a data de hoje está destacada no mapa abaixo de cores azuladas.


 É apenas uma questão de tempo para que praticamente toda a cidade fique totalmente disponível no Street View.  Então vamos aproveitar, utilizar e divulgar!


quinta-feira, 21 de junho de 2012

Informações do trânsito de Fortaleza em tempo real no Google Maps



 Já encontra-se disponível no Google Maps, informações em tempo real sobre o caótico transito da cidade de Fortaleza. Pelo menos agora temos uma ferramenta de "sobrevivência" nos horários de pico.



Para visualizar, basta acessar o Google Maps e clicar na opção do lado superior direito "Traffic" ou Tráfego:

As informações ficam disponíveis em forma de barra conforme legenda abaixo:



O interessante é que torna a ferramenta de rotas do Google Maps mais precisa em relação a estimativa de tempo visto que além da distância também vai considerar o trânsito do momento da consulta.




 A versão mobile também está funcionando (pelo menos a versão Android que utilizo). Basta adicionar a camada "Visualização do Trânsito" para ter acesso às informações. 

Como disse anteriormente, é uma ferramenta de "sobrevivência" para a selva que está o trânsito de Fortaleza.

terça-feira, 5 de junho de 2012

o pai mais forte do mundo



Recebi o vídeo abaixo em alguma rede social, não lembro se via twitter ou facebook.






Após assistí-lo fiquei curioso em saber mais a respeito dos personagens do vídeo. Em uma rápida pesquisa encontrei uma da Sports Illustrated de Junho de 2005 intitulada "The Strongest Dad in the World".

Também encontrei o vídeo abaixo produzido pela Ironman Triatlhon que conta a história de várias pessoas que tiveram suas vidas mudadas pelo evento. Os videos em questão, mostram clipes com cenas da história de Dick e Rick Hoyt, pai e filho, onde o pai carrega por todo o percurso do Ironman seu filho.



.



Vejam os videos e leiam o texto abaixo que é uma versão traduzida da reportagem da Sports Illustrated para entender toda a história. Realmente vale a pena!


Oitenta e cinco vezes Dick Hoyt empurrou seu filho deficiente, Rick, por 42 quilômetros em maratonas. Oitenta vezes ele não só empurrou seu filho os 42 quilômetros em uma cadeira de rodas, mas também o rebocou por 4 quilômetros em um barquinho enquanto nadava e pedalou 180 quilômetros com ele sentado em um banco no guidão da bicicleta -- tudo isso em um mesmo dia.

Dick também o levou em corridas de esqui, escalou montanhas com ele às costas e chegou a atravessar os Estados Unidos rebocando-o com uma bicicleta. E o que Rick fez por seu pai? Não muito -- exceto salvar sua vida.


Esta história de amor começou em Winchester, nos EUA, há 43 anos quando Rick foi estrangulado pelo cordão umbilical durante o parto, ficando com uma lesão cerebral e incapacitado de controlar os membros do corpo.

-- Ele irá vegetar pelo resto da vida -- disse o médico para Dick e sua esposa Judy quando Rick tinha nove meses. -- Vocês devem interná-lo em uma instituição.

Mas o casal não acreditou. Eles repararam como os olhos de Rick seguiam os dois pelo quarto. Quando Rick fez 11 anos eles o levaram ao departamento de engenharia da Tufts University e perguntaram se havia algum jeito do garoto se comunicar.

-- Jeito nenhum -- disseram a Dick -- Seu cérebro não tem atividade alguma.

-- Conte uma piada para ele -- Dick desafiou. Eles contaram e Rick riu. Na verdade tinha muita coisa acontecendo no cérebro de Rick.

Usando um computador adaptado para ele poder controlar o cursor tocando com a cabeça um botão no encosto de sua cadeira, Rick finalmente foi capaz de se comunicar. Primeiras palavras? "Go Bruins!", o grito da torcida dos times da Universidade da Califórnia. 

Depois que um estudante ficou paralítico em um acidente e a escola decidiu organizar uma corrida para levantar fundos para ele, Rick digitou: "Papai, quero participar".

Isso mesmo. Como poderia Dick, que se considerava a si mesmo um "leitão", que nunca tinha corrido mais que um quilômetro de cada vez, empurrar seu filho por 8 quilômetros? Mesmo assim ele tentou.

-- Daquela vez eu fui o inválido -- lembra Dick -- Fiquei com dores durante duas semanas.

Aquilo mudou a vida de Rick. Ele digitou em seu computador:

-- Papai, quando você corria eu me sentia como se não fosse mais portador de deficiências.

O que Rick disse mudou a vida de Dick. Ele ficou obcecado por dar a Rick essa sensação quantas vezes pudesse. Começou a se dedicar tanto para entrar em forma que ele e Rick estavam prontos para tentar a Maratona de Boston em 1979.

-- Impossível! -- disse um dos organizadores da corrida.

Pai e filho não eram um só corredor e também não se enquadravam na categoria dos corredores em cadeira de rodas. Durante alguns anos Dick e Rick simplesmente entraram na multidão e correram de qualquer jeito. Finalmente encontraram uma forma de entrar oficialmente na corrida: Em 1983 eles correram tanto em outra maratona que seu tempo permitia qualificá-los para participar da maratona de Boston no ano seguinte.

Depois alguém sugeriu que tentassem um Triatlon. Como poderia alguém que nunca soube nadar e não andava de bicicleta desde os seis anos de idade rebocar seu filho de 50 quilos em um triatlon? Mesmo assim Dick tentou.

Hoje ele já participou de 212 triatlons, inclusive quatro cansativos Ironmans de 15 horas no Havaí. Deve ser demais alguém nos seus 25 anos de idade ser ultrapassado por um velho rebocando um adulto em um barquinho, você não acha? Então por que Dick não competia sozinho?

-- De jeito nenhum -- ele diz. Dick faz isso apenas pela sensação que Rick pode ter e demonstrar com seu grande sorriso enquanto correm, nadam e pedalam juntos.

Este ano, aos 65 e 43 anos de idade respectivamente, Dick e Rick completaram a 24a. Maratona de Boston na posição 5.083 entre mais de 20 mil participantes. Seu melhor tempo? Duas horas e 40 minutos em 1992, apenas 35 minutos mais que o recorde mundial que, caso você não saiba, foi batido por um homem que não empurrava ninguém numa cadeira de rodas enquanto corria.

-- Não há dúvida -- digita Dick -- Meu pai é o Pai do Século.

E Dick também ganhou algo com isso. Há dois anos ele teve um leve ataque cardíaco durante uma corrida. Os médicos descobriram que uma de suas artérias estava 95% entupida. Os médicos disseram que se ele não tivesse se dedicado para entrar em forma é provável que já teria morrido uns 15 anos antes. De certa forma Dick e Rick salvaram a vida um do outro.

Rick, que hoje tem seu próprio apartamento (ele recebe cuidados médicos) e trabalha em Boston, e Dick, que se aposentou do exército e mora em Holland, Massachussets, sempre acham um jeito de ficarem juntos. Eles fazem palestras em todo o país e participam de alguma cansativa corrida nos finais de semana.

No próximo Dia dos Pais Rick irá pagar um jantar para seu pai, mas o que ele deseja mesmo poder fazer é um presente que ninguém poderia comprar.

-- Eu gostaria -- digita Rick -- de um dia poder empurrar meu pai na cadeira pelo menos uma vez.

(por R. Reilly - Sports Illustrated)
A equipe Hoyt, como se intitulam pai e filho, hoje possui  um site no link http://www.teamhoyt.com/ com fotos e toda sua história


Dick Hoyt, na esquerda, e seu filho, Rick, na 116th running of the Boston Marathon, in Hopkinton, Mass.,  16 de abril de 2012.



 

quinta-feira, 24 de maio de 2012

Tem que ser divertido

Hoje a referência no futebol brasileiro é o Neymar.  
Para alguns boa referência, para outros uma referência ruim, mas a habilidade do atacante santista é indiscutível. 
O que se discute é o fato de ele levar a "sério" ou não o futebol. 
O que criticam Neymar dizem que ele abusa dos dribles, "humilha" o adversário e outras acusações que para mim não fazem o menor sentido. 
O que defendem dizem que ele joga um futebol alegre e não liga para o discurso moralista de "respeitar o adversário".
Futebol pra mim tem que ser divertido. 
Na minha opinião, o atacante tem que ter a liberdade de meter a bola entre as pernas do adversário e não ser criticado por isso. 
Se o futebol ficar sério demais, sinceramente pode perder a graça e ficar extremamente chato. O que se hoje em dia é sempre o discurso repetitivo de respeitar o adversário. 
Se prestar atenção as entrevistas acabam tendo as mesmas respostas dos jogadores:
 - O time "X" é um grande time e temos que respeitá-lo.
  Parece tudo texto decorado e orientado por algum assessor de imprensa com intuito de evitar polêmicas. Isso é muito chato! 

Não era assim.  Me lembro muito bem do campeonato carioca de 95 ou foi 96 em que os grandes times do Rio de Janeiro contavam com mestres da provocação e do bom humor. 
No fluminense tinha o Renato Gaúcho, no flamengo o baixinho Romário e no botafogo o Túlio Maravilha. Cada jogo sempre havia uma entrevista divertida e provocadora entre eles. 
 Túlio Maravilha declarava: "Urubu otário, quem tem o Túlio não precisa de Romário".
 Renato Gaúcho se autoafirmava o Rei do Rio.
 E Edmundo que fazia a dança da bundinha para a torcida do Botafogo. 
 Essas provocações eram sadias e ao meu ver não tratavam-se de falta de respeito ao adversário. 
 Pelo contrário, tinha um efeito positivo: promoviam os jogos e faziam os estádios lotarem cada vez mais. 
 Não vejo mais isso. Quando um jogador hoje não é "politicamente correto" com algum adversário ele já rapidamente crucificado pela imprensa. 

O que me motivou a relembrar essa chatice recente do futebol foi a aposta realizada recentemente entre os jogadores Luis Fabiano do São Paulo e Renato do Botafogo. Eles, que são amigos e jogaram um bom tempo juntos no Sevilla da Espanha, resolveram via twitter fazer uma aposta pública antes do jogo Botafogo x São Paulo que ocorreu neste último domingo (20/05/2012). 
A aposta era simples: quem perdesse teria que lavar todas as camisas do time adversário. O desafio  viralizou e saiu em vários sites. E para minha surpresa não foi criticada (pelo menos não vi sendo).



A aposta foi tão midiática que o pagamento da mesma ainda ganhou um patrocínio da Consul. Vejam os vídeos abaixo:

Torço para que venham mais apostas e brincadeiras para que enfim o futebol não fique tão chato e "profissional".
Que seja divertido!